Na Câmara de vereadores de Patos: Projeto gera ampla discussão, mas passa em primeira votação

camera de ver

O legislativo patoense voltou a se reunir na noite desta terça-feira 18 e o destaque, além da forte chuva, que perdurou praticamente durante toda a sessão, foi a discussão em torno do projeto do Executivo, de nº 7, que pedia autorização aos vereadores para doar uma área de 26 mil metros quadrados à empresa Sanny Cuty Urbanismo, área localizada às margens da Via Sudeste. O projeto foi aprovado em primeira votação com votos contrários de Toinho Nascimento, Diogo Medeiros, Sales Junior e Jefferson Melquíades.

A referida área deverá somar-se à outra da empresa para a construção de um empreendimento comercial naquele local. A alegação do Executivo é de que há exigências de empresários interessados em investir no empreendimento, e que o espaço deveria ser de uma área de 100 mil meros quadrados. A Sanny é dona de loteamento (Cidade do Sol) no local e poderá ampliá-lo com a doação do terreno. O investimento, segundo projeções, ofertará mil empregos para o município de Patos.

A prática de oferecer benefícios à empresas que queiram se instalar na localidade, gerando emprego e renda para os munícipes sempre foi empregada pelos gestores, pois acaba contribuído com o desenvolvimento da cidade. Porém alguns vereadores identificaram falhas no projeto e questionaram, a exemplo de uma data concreta de quando haveria a instalação dos equipamentos.

Jefferson apontou para a necessidade de correção, a exemplo do prazo para construção, já que consta que a empresa tem um ano, a partir da escrituração do terreno, para fazer uso da área doada. “Ora, a Sanny com isso terá o tempo que quiser para concretizar o empreendimento. Falta muita informação, por isso meu voto contrário”, explicou.

Antônio Ivanes defendeu o projeto elencando pontos positivo para o desenvolvimento de Patos. Comentou que a Prefeitura não fará doação de terreno, apenas fechará ruas para que os terrenos do loteamento da Sanny sejam fundidos. “Não há como construir um empreendimento desses em blocos, separados. A Prefeitura não está doando e sim anulando uma rua de uso comum”, argumentou.

Fernando Jucá também se disse contrário ao teor como o projeto foi apresentado, mas dava seu voto de confiança porque há uma reunião nesta quarta-feira com o empresário da Sanny, que vai apresentar o projeto de como será o empreendimento, tirar dúvidas dos vereadores. Outro projeto aprovado foi o que concede aumento, retroativo a janeiro, nos vencimentos dos conselheiros tutelares, que vão passar a receber R$ 1.200,00.

O vereador Sales Junior apresentou Voto de Aplauso ao Rotaract pela campanha, em parceria com o Hemocentro, através do Hemonúcleo Patos, de doação de sangue, ocorrida no último sábado 15. Mostrou a necessidades de atos desse tipo, a importância do gesto solidário que salva muitas vidas e qualquer um pode precisar de sangue e os estoques precisam estar regulados.

Lúcia de Fátima também requereu Voto de Aplauso para a professora Edilene Araujo dos Santos por seus serviços prestados à educação patoense. Jucá pediu um Voto de Pesar pelo falecimento do jovem Mário Gregório Cabral, ocorrido no último dia 13.

Outro Voto de Aplauso foi direcionado ao policiamento de trânsito, tendo como autor Maurício Alves, tendo como alvo o projeto educacional desenvolvido pelos militares “Uma semana transitando com você”, cuja metodologia tem sido educar crianças das escolas públicas e privadas na conscientização de um trânsito mais responsável, de prevenção, conhecimento das leis. Em nove anos desse projeto mais de 30 mil crianças já receb eram o certificado “Amigo do trânsito”.

A infraestrutura da cidade foi destacada pelo vereador Jardelson Pereira, que criticou a grande quantidade de galerias estouradas, esgotos a céu aberto, representando grande desconforto e perigo para a saúde pública, especialmente para os moradores da Rua Zeca Vieira (Liberdade) e da Moacir Leitão (Jardim Lacerda). Reconheceu o número reduzido de funcionários da Prefeitura para cobrir toda a cidade e disse que solicitou da prefeita Francisca Motta ampliação do quadro de funcionários.

O líder do governo, Maurício Alves, enfatizou que Francisca Motta determinou em caráter de urgência a contração de mais duas pessoas para trabalhar no conserto de galerias. Disse que a equipe está se desdobrando para tentar atender a demanda. Informou também que muitas bocas de lobo estão sendo furtadas. “O município terá uma força tarefa para cuidar das galerias estouradas”, informou.

Inácio de Gelo lembrou que desde dezembro do ano passado alertava sobre a necessidade de limpeza e consertos de galerias, antes que as chuvas caíssem. Jucá também disse que por várias vezes requisitou tais serviços, mas não fora atendido.

A Sub-Prefeitura, do Distrito de Santa Gertrudes, foi discutida na Casa Juvenal Lúcio de Sousa. Diogo Medeiros explicou que há espaço para funcionamento dela, mas não há recursos, dotações orçamentárias para que possa cumprir sua função, atender a população. “A Sub-Prefeitura funciona hoje apenas como uma assessoria do Gabinete da prefeita”, comentou. Pediu também à Prefeitura material esportivo para a juventude de Santa Gertrudes.

O vereador Fernando Jucá disse estar satisfeito pela volta do lanche dos funcionários do Hospital Regional, que havia sido cortado pela direção, e que esta atendeu o pedido do parlamentar, dos vereadores. Falou da vinda do deputado federal Luiz Couto, visita esta que quer aproveitar, falta marca data, para discutir em audiência pública a PEC do jornalista, que torna obrigatório para o exercício da profissão o diploma de nível superior específico da área.

Marcos Eugênio – Garimpandopalavras