Falta de repasse da PMJP deixa clubes de futebol em crise

watteauPrefeitura suspendeu os recursos destinados para os clubes de futebol em 2016 alegando dificuldades financeiras

A falta de repasse financeiro da Prefeitura de João Pessoa, através do programa “João Pessoa de Todas as Torcidas”, tem prejudicado o desempenho dos três clubes de futebol da Capital: Auto Esporte, CSP e Botafogo desde o ano passado. Segundo o presidente do Auto Esporte, Watteau Rodrigues, o problema prejudicou o time material e moralmente e contribuiu para o péssimo desempenho dos jogadores em campo. “Levamos um verdadeiro calote do prefeito em 2015”, disparou Rodrigues.

Segundo Watteau Rodrigues, o Auto Esporte deveria ter recebido aproximadamente R$ 240 mil no ano passado e que devido ao descumprimento da compromisso da Prefeitura precisou ‘desmontar’ o time, atrasou salários e ainda sofreu com a mídia negativa que sofreu devido aos problemas financeiros que está passando. “Tudo isso contribuiu para que o time tivesse um péssimo desempenho no Campeonato Paraibano”, alegou o presidente.

De acordo com a Federação Paraibana de Futebol, a Prefeitura de João Pessoa teria que repassar no ano passado, de acordo com o programa, para os três times de futebol profissional algo em torno de R$ 1 milhão: Auto Esporte (R$ 240 mil), CSP (R$ 150 mil) e Botafogo (R$ 500). No entanto, apenas o Botafogo-PB recebeu R$ 400 mil em 2015, de acordo com o sistema da Prefeitura.

Em 2016 – Prefeitura da Capital já anunciou neste ano que estão  suspensos os recursos destinados para os clubes de futebol em 2016 alegando dificuldades devido a crise financeira que o país atravessa, e que iria utilizar o orçamento para dar seguimento as obras da cidade. No entanto o fato é questionado pelo parlamentar.

“No Belo, ao longo de quase 20 anos de parceria com a Prefeitura, conseguimos recursos para o time. Isso tem feito com que o futebol da Paraíba tenha melhorado ao longo desses anos. Infelizmente, não contamos mais com essas parcerias em virtude de uma certa crise, pelo menos é o que falam. Apesar disso, Santa Rita, Patos, Sousa e Cajazeiras são cidades onde as parcerias continuaram”, destacou Zezinho.

O parlamentar destacou que o futebol emprega muita gente. “No Botafogo-PB temos uma média de 60 pais de família que dependem das atividades do esporte. Contando os times da Paraíba toda, temos uma média de 500 a 600 pessoas que atualmente dependem desses recursos”, observou.

O Futebol da Paraíba conta com a Lei Gol de Placa, criada no governo Cássio Cunha Lima. “No entanto, havia clubes que não recebiam o recurso proveniente desta Lei. Ricardo Coutinho (PSB) ouviu os clubes, modificou a norma e a alterou, fazendo com que times que não tinham o direito de receber, agora recebam”, comentou o Zezinho do Botafogo.

ClickPB