Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial

O dia 21 de março foi instituído, pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial em memória ao Massacre de Shaperville. Em 21 de março de 1960, 20.000 negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação especificando os locais por onde eles podiam circular, em Johanesburgo, na África do Sul. Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão e o saldo da violência foi de 69 mortos e 186 feridos.

A data marca ainda outras conquistas da população negra no mundo: a independência da Etiópia, em 1975, e da Namíbia, em 1990, ambos os países, africanos.

O ato da ONU de instituir esse como o Dia Internacional de Combate à Discriminação Racial teve/tem o intuito de incentivar a comunidade internacional a implementar medidas efetivas para eliminar todas as formas de discriminação, assim como também, a “Convenção internacional sobre a eliminação de todas as formas de discriminação racial”, que estabeleceu, em um de seus artigos, que a discriminação racial é qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional.

Hoje em dia, os casos de discriminação ainda são comuns, alguns tão chocantes e perversos quanto os ocorridos há 50 anos.

Por mais que medidas tenham sido implementadas, ainda é necessário e urgente um exercício, uma reeducação, uma força constante de valorização e respeito de suas liberdades, sem as quais estas pessoas não poderão exercer plenamente suas potencialidades.

Raça, cor, credo… Nada disso influencia na capacidade e nas potencialidades das pessoas. O que verdadeiramente conta é o caráter, esse que não vem estampado no rosto e, muito menos, na cor da pele de ninguém.